Terça-feira, 21 de Novembro de 2006

mamoplastia de aumento parte III

> Indicações para Prótese de Mamas

Quem é uma boa candidata para colocação de prótese mamária?

 

A mamoplastia de aumento, mais comumente chamada de: prótese de mama, prótese de seio ou prótese de silicone é indicada para:


- pacientes com mamas pequenas e desarmônicas com o restante do tórax e do corpo.

 

- pacientes com mamas não tão pequenas mas que estão insatisfeitas com volume mamário, desde que haja indicação.

 

- pacientes com assimetria mamaria (diferença de tamanho ou forma entre as mamas).

 

- correção de pequena ptose (queda), p.ex. após amamentação *

 

- reconstrução mamaria após mastectomias (remoção de tecido mamário por tumores, etc...).

 

Contra-indicação:

- pacientes com queda mamaria acentuada (muita flacidez) devem ser orientadas a não realizar apenas o implante mamário, pois continuarão com os seios caídos, sendo que muitas vezes, essa queda é até mesmo acentuada após a colocação da prótese.
Nesses casos devemos realizar a mastopexia ou breast lift que consiste no levantamento dos seios através da remoção do excesso de pele e a remontagem das mamas.

Isso pode ou não ser associado ao implante de silicone, caso a paciente queira não apenas levantar as mamas, mas também aumentá-las.
Essa cirurgia pode ser feita numa mesma etapa, ou seja, montagem das mamas e colocação da prótese.


* imagem ilustrativa logo após a cirurgia de remoção de pele, montagem das mamas e inclusão de próteses de 260cc.


 

> Tipos de Próteses

Existem muitos tipos de próteses, que variam em termos de forma, tamanho, textura, marcas, etc...
Nesse tópico falaremos sobre esses tipos e como a escolha do tipo ideal de prótese para cada caso é importante para obtenção de um resultado harmônico e natural.

Quanto ao Perfil

- Baixo: possuem base mais larga e são mais baixas, portanto são mais indicadas quando se deseja maior projeção do colo mamário e pouca projeção para frente.

- Alto: possuem base menor e são mais altas, portanto são indicadas quando se deseja maior projeção para frente sem tanta necessidade de preenchimento do colo mamário.

* Duas próteses podem ter o mesmo volume (tamanho) porem com perfis diferentes, portanto quando se diz:

" Dr., minha amiga colocou tal tamanho e gostei”, é importante que se saiba que perfil foi utilizado e que marca, pois existe uma diferença significativa entre uma prótese de 200 cc de perfil baixo para uma prótese de 200cc de perfil alto, bem como existem diferenças de dimensões entre uma marca e outra . Para que você tenha uma noção melhor, imagine uma lata de atum e uma lata de cerveja (claro que isso seria um exagero). Ambas teriam 300ml, porem uma é mais alta e estreita enquanto a outra é mais baixa e larga."


* diferença entre prótese perfil baixo e alto

- perfil anatômico: têm um perfil “em gota” e são indicadas para aquelas pacientes que têm mamas com formas e contornos estéticos e se deseja um aumento proporcional das mesmas.

A escolha do tipo de perfil ideal para cada caso é tão importante quanto a escolha do tamanho, pois ele é que dará o formato das novas mamas.
Uma intercorrência muito comum é a evidencia dos contornos da prótese nos colos, principalmente no meio (“próteses marcadas” ).
Isso ocorre geralmente quando a paciente diz ao cirurgião que desejaria mamas mais unidas.
Ocorre que o descolamento medial NUNCA deve ultrapassar o tecido mamário, ou seja, mamas separadas, continuarão separadas, talvez um pouco menos, mas ainda separadas.

E mamas unidas no centro ficarão um pouco mais unidas.

Se tentarmos descolar alem do limite da glândula mamaria, descolaremos pele e portanto, a protese ficara recoberta apenas por pele tornando-a evidente.
Numa cirurgia bem sucedida, mesmo quando essas mamas são pressionadas para o centro, não há evidencia de próteses.
Isso deve ser explicado e mostrado através de fotos para a paciente para que a mesma não tenha uma expectativa diferente e alem da realidade que pode ser oferecida. É mais honesto, transparente e ético, dizer para a paciente que ela nunca terá mamas muito unidas do que frustrá-la ou até mesmo causar uma seqüela estética tentando agradá-la.

Quanto ao tipo de superfície

Antes de falarmos sobre os tipos de superfícies é importante que se entenda porque superfícies diferentes?

Devido a uma reação natural do corpo humano, uma cápsula é formada ao redor de corpos estranhos, inclusive implantes.
Essa cápsula pode ficar dura e contrair o implante. A contratura pode deformar o implante alterando a forma da mama. Chamamos essa complicação de contratura capsular. Os tipos de superfícies das próteses mamárias foi sendo alterado à medida em que se tentava uma solução para a contratura capsular*.
O índice de ocorrência de contratura capsular está relacionado entre outros, à superfície dos implantes.
Os primeiros implantes fabricados tinham a superfície lisa. A partir de meados dos anos setenta surgiram os implantes revestidos de espuma de poliuretano.
E, finalmente, na década de 80 surgiram os implantes texturizados numa tentaiva de imitar o efeito rugoso da espuma de poliuretano. Saiba mais sobre contratura capsular.

Tipos de superfícies:

- lisas: maiores índices de contratura capsular (5 a 6%).

- texturizadas: superfície com micro-rugosidades que tem como objetivo “quebrar” a formação da cápsula. Apresenta índices menores de contratura capsular que as lisas (2 a 3%). São as mais utilizadas.

- poliuretano: superfície revestida de espuma de poliuretano. Apresenta os menores índices de contratura capsular (0,5%), porém é mais sensível à palpação e com maiores chances de dobras. Utilizada geralmente após contratura capsular intensa com prótese texturizada.

Quanto ao tamanho

- talvez a dúvida mais freqüente, tanto do paciente quanto do médico seja qual o tamanho e forma ideais de prótese que devo colocar ?Esse realmente é o ponto mais delicado da cirurgia.
Primeiramente, deve-se ter uma conversa com seu cirurgião, que deverá tirar todas as suas dúvidas, avaliará seu perfil físico, psicológico, padrão de cicatrização e principalmente a proporcionalidade de suas formas. Ele também realizará várias fotos pré-operatórias e lhe mostrará diversos resultados antes/depois para melhor orientá-la nessa difícil escolha.
Por fim, deve-se respeitar o desejo da paciente, ou seja, a decisão deve ser de certa forma democrática, porém com limitações, tentando sempre evitar exageros.

“Um bom tamanho é aquele que se harmoniza com a silhueta e o contorno corporal e ninguém é capaz de dizer que se trata de prótese. Existe uma linha muito tênue, entre o exagero estético e a artificialidade”.

O volume das próteses é medido em centímetros cúbicos (cc) comumente chamados de mililitros (ml).
Existe uma variação enorme de tamanho de próteses que vai desde 60cc até 500cc.
Os tamanhos geralmente progridem de 30 em 30cc e os mais utilizados estão entre 200cc e 300cc.




* compare nessa ilustração o volume das próteses X xícaras de café

Visitando os sites dos fabricantes no tópico abaixo, você poderá ver todas as variações de tamanhos de cada marca.

Quanto ao tipo de preenchimento


As próteses podem estar preenchidas de:

- solução salina: colocam-se as próteses vazias (apenas os invólucros) e depois, com uma seringa e soro vai se preenchendo até chegar ao tamanho desejado. Utilizada mais nos EUA e Canadá pois nesses países ainda é proibido o uso de silicone gel. Tem o inconveniente de se notar esse liquido quando em movimento, ser mais dura ao toque e ter risco de vazamento.

- Gel de silicone:
o mais utilizado em todo mundo. As próteses mais modernas, utilizam gel de silicone coesivo e não mais liquido. Sendo assim, mesmo que ocorra uma ruptura traumática da prótese, esse silicone não vazará. À palpação, esses implantes são imperceptíveis por apresentar densidade e textura bem similares as do tecido mamário.

Quanto à marca

Existem inúmeras marcas de implantes mamários no mercado porém as mais utilizadas são:

- eurosilicone:
http://www.importmedic.com.br
http://www.eurosilicone.com

- mcghan:
http://www.globalskin.com.br/v01/asp/produtos.asp?marca=McGhan-CUI

http://www.allerganandinamed.com/products/aug/us/patient/patient.html

- silimed:
http://www.silimedprodutos.com.br

 

> A Cirurgia

A CONSULTA

Para o sucesso da cirurgia é preciso que a(s) consulta(s) tenham esclarecido todas as dúvidas da paciente candidata a colocação de prótese mamária.
Cirurgião e paciente, com auxílio de estudo fotográfico, exemplos, ilustrações, etc..., já discutiram bastante sobre o tamanho provável da prótese, perfil, a melhor via de colocação, cicatriz, possíveis intercorrências, etc...
Para saber mais clique sobre os links: indicações e tipos de próteses.


A CIRURGIA

Vias de acesso

A escolha da via de acesso se deve apenas à qualidade da cicatriz resultante, pois a via escolhida não interfere no resultado em termos de forma, tamanho, etc...
Seu cirurgião deverá discutir os prós e contras de cada uma delas antes de tomar a decisão.
As vias de acesso para colocação das próteses podem ser: axilar, submamária ou areolar.

Axilar: a cicatriz fica escondida na axila e, portanto, imperceptível. Geralmente a prótese é colocada abaixo do músculo. Como o risco de hematomas e equimoses (áreas arroxeadas) é maior, bem como alterações de sensibilidade e assimetria mamária, seu uso é restrito.
   
Areolar: A cicatriz fica dentro da aréola, contornando a metade inferior. É a via mais utilizada em nosso serviço devido à boa qualidade da cicatriz que geralmente fica imperceptível, porém é reservada apenas para pacientes com aréolas maiores, com pelo menos 3cm de diâmetro e/ou para próteses pequenas.
   
Sulco
infra-mamário:
fica posicionada no sulco abaixo das mamas. De modo geral é a via mais utilizada. Tem a vantagem do descolamento não passar pelo tecido mamário. É mais rápida, porém é a que requer maior atenção e cuidado em relação a qualidade da cicatriz, que geralmente não ultrapassa 4,0 a 5,0 cm de extensão (saiba mais sobre cicatriz no final dessa página).

Técnica cirúrgica

- escolhida a via de acesso, a pele é incisada no local.
- a gordura e o tecido mamário também são incisados até atingirmos o plano subglandular, ou seja, um plano abaixo do tecido mamário, porem acima do músculo peitoral (figura da esquerda).
- é criada então uma loja onde será colocada a prótese. Essa é sempre 10 a 20% que o tamanho da prótese para se evitar dobras e para que a prótese se acomode na melhor posição possível (figura da direita).

- posteriormente é feita a hemostasia, ou seja, a cauterização dos vasos sanguíneos para que não haja sangramento posterior e, portanto, risco de hematomas.
- nesse momento, se o cirurgião achar necessário e prudente, ele poderá testar alguns moldes de diferentes tamanhos.
- o passo seguinte é a colocação das próteses nas lojas previamente descoladas e o fechamento da lesão por planos ate chegar na pele.

· As próteses devem ser colocadas um pouco acima da posição ideal para compensar a ação da gravidade, pois as mesmas têm a tendência de cair com o passar do tempo, principalmente nos seis primeiros meses.

Portanto, se as colocarmos na posição ideal, após 3 a 6 meses essas estarão um pouco caídas. Essa queda é maior, quanto maiores forem as próteses e quanto mais flácido seja o tecido da paciente.
O cirurgião deve então analisar esses aspectos e explicar a paciente que haverá essa hiper correção e que ela sentirá que a prótese ficou um pouco mais alta no primeiro mês.
Dessa forma, quando o tecido ceder elas cairão para posição ideal.

Veja no exemplo abaixo um caso antes, após 1 mês e após 3 meses de cirurgia.



Plano de colocação das próteses

· As próteses podem ser colocadas acima ou abaixo do músculo peitoral. A via abaixo do músculo, chamada de via submuscular, é reservada geralmente para aquelas pacientes com pouquíssimo ou quase nenhum tecido mamário, pois tendo pouco tecido para cobri-las, as mesmas podem ficar evidentes e com contornos nítidos dando aquele aspecto característico “de prótese”.

via subglandular x submuscular
caso para indicação via submuscular

Curativo

Ao final da cirurgia é realizado um curativo compressivo e colocação do sutiã pós-operatório. (ver cuidados pós-operatórios)

A Anestesia

A anestesia para a cirurgia de prótese mamária pode ser local com sedação endovenosa, peridural alta ou geral.
Cada uma delas apresenta suas vantagens e desvantagens. Seu médico e seu anestesista saberão explicar qual a mais conveniente para o seu caso.

Disponibilizamos, através de um acordo com o Hospital Saint Paul, uma consulta anestésica antes da cirurgia na qual você poderá tirar todas as suas dúvidas a respeito dos diferentes tipos de anestesia. Essa pode ser agendada numa data e horário de sua conveniência. Para tal, entre em contato conosco ou no link acima. Para saber mais sobre anestesia em cirurgia plástica clique aqui.


A Cicatriz

Alguns são os “temores” das pacientes candidatas à colocação de prótese mamaria, tais como:
o tamanho certo e a anestesia, mas talvez o maior deles seja no que se refere à cicatriz resultante.
Antes de falarmos e mostrarmos as cicatrizes de prótese de mamas, você deve saber um pouco mais sobre o processo de cicatrização.

Toda ferida, quando fechada, por sutura ou de forma espontânea, resulta em uma cicatriz. Dependendo da região do corpo e do tamanho da mesma, essa se torna mais ou menos evidente, mas toda cirurgia gera uma cicatriz. Portanto, laser, tratamentos milagrosos pós-cirúrgicos NÃO EXISTEM. Na cirurgia plástica tentamos minimizar as cicatrizes escondendo-as em dobras naturais, dentro dos cabelos, etc...porem ela sempre existirá.

Veja a seguir a cronologia normal do processo de cicatrização pela via areolar:

- dia seguinte: fina linha pouco perceptível (foto1)
- entre 1 e 3 meses: cicatriz começa a ficar avermelhada e/ou grossa (cicatriz hipertrófica) - foto2
- entre 3 a 6 meses: melhora de 50% desse processo e com 6 meses tende a voltar ao que era com 1 ou 2 meses de cirurgia – foto 3

- de 6 meses a 1 ano: evolução de 80% da cicatriz – foto 4
- entre 1 e 2 anos: tempo final para o processo, ou seja, uma cicatriz pode evoluir e melhorar sua aparência até 2 anos após a cirurgia – foto 5 (aspecto final).

Via submamária

final da cirurgia
1 mês
3 meses
1 ano

Porém, o perfil de cicatrização varia de paciente para paciente, ou seja, uma mesma cirurgia, realizada pelo mesmo cirurgião, com o mesmo tipo e fio de sutura, pode, numa paciente resultar numa cicatriz imperceptível, enquanto em outra pode gerar uma cicatriz mais evidente, hipertrófica ou ate um quelóide.
A cicatriz hipertrófica é aquela vermelha e alta, que pode ser tratada com medicação tópica e evoluir de forma favorável, porém levando mais tempo que a cicatriz normal.

cicatriz hipertrófica (3 meses)
após tratamento(1 ano)

A cicatriz dessa cirurgia, conforme já falamos no subtópico vias de acesso, pode ficar na aréola, embaixo dos seios ou nas axilas.
Como não utilizamos a via axilar em nosso serviço, não temos experiência suficiente para falar na cicatriz desse modo de abordagem, mas comparando a cicatriz areolar (ao redor da aréola) com a submamária (no sulco abaixo dos seios), notamos alem de um risco muito menor de hipertrofia da areolar em comparação a submamária, também uma qualidade muito maior em termos de refinamento, ou seja, a cicatriz areolar é quase sempre muito melhor em termos estéticos que a submamária.
A cicatriz submamária deve então ser a menos extensa possível (em nosso serviço, a fazemos com cerca de 4,0 cm de comprimento) e deve ser posicionada discretamente acima do sulco, para que não fique aparente caso o biquíni suba um pouco ao levantar os braços.

Quanto à cicatriz areolar, a mesma deve ser feita 1 a 2 milímetros para dentro da aréola (foto da direita) e não ao redor da mesma, no tecido entre a pele e a aréola (foto da esquerda) para não perder aquela transição tênue e característica da região, aquele aspecto “ esfumaçado” que dá a naturalidade e o acabamento artístico da região.

 

 
   
   
 
  • Origem Irlandesa;
  • Maior variedade de modelos disponíveis no mercado;
  • A Marca Mcghan/CUI vem sendo construída baseada em inovações, qualidade cirúrgica premium, com uma incompatível gama de produtos, que vai de encontro às necessidades dos pacientes;
  • Patenteada tecnologia da INTRASHIEL/DRIE incorporada ao elevado desempenho do elastômero de silicone da Mcghan reduz as características da permeabilidade do envelope e miniminiza a difusão do gel;
  • Garantia de 10 anos por escrito.

> Orientações Pré e Pós-operatórias

Pré-operatório

- Realizar os exames médicos solicitados pelo médico. Você deverá levá-los consigo ao consultório e na data da cirurgia.

- Internar-se no hospital recomendado obedecendo ao horário estabelecido.

- Jejum:

1 - se a cirurgia for período da manhã:

- Jejum absoluto (NEM ÁGUA) a partir da meia-noite da véspera.

2 - se a cirurgia for no período da tarde (segundo horário):

- Jejum de sólidos a partir da meia-noite da véspera e para evitar hipoglicemia e sintomas decorrentes de jejum prolongado, tomar um suco de laranja ou chá bem adoçados até às 8:00h da manhã (sem sólidos). Após às 8:00h não ingerir mais nada (NEM ÁGUA).

- Não tomar quaisquer medicamentos que contenham ácido acetil salicílico por pelo menos 14 dias antes da cirurgia (aspirina, AAS, melhoral, buferin, etc...

- Parar de fumar pelo menos 7 dias antes e 3 dias após a cirurgia.

- Evitar todo e quaisquer medicamentos para emagrecer, que eventualmente esteja utilizando, por um período de sete dias antes do ato cirúrgico.

- Não ingerir bebida alcoólica 3 dias antes e 3 dias após a cirurgia e evitar refeições pesadas na véspera da cirurgia.

- Se você usa qualquer tipo de calmante, antidepressivo, remédio para dormir ou até mesmo drogas, seu medico deve saber disso o quanto antes para que possa tomar as medidas necessárias.

- Recomenda-se tomar arnica em glóbulo (4 glóbulos de quatro em quatro horas – parar a noite) 1 semana antes e 1 semana após a cirurgia (isso diminuirá a chance de equimoses – áreas roxas).

- Comunicar-se conosco com pelo menos 3 dias de antecedência caso haja algum imprevisto ou doença inesperada ( gripe, etc...).

· DICA: Programe suas atividades sociais, domésticas, profissionais ou escolares, de modo a não se tornar indispensável por pelo menos 1 dia antes e 3 dias após a cirurgia.


Pós-operatório


- Você sairá da cirurgia utilizando um sutiã apropriado para o período pós-operatório. Esse deverá ser utilizado por um mês, o maior tempo possível (removê-lo apenas para banho e curativo).

- A área descolada que recebe a prótese é cerca de 20% maior do que a mesma. Isso para que ela possa se locomover e se alojar na posição anatomicamente mais adequada para cada paciente, portanto se as orientações não forem seguidas e você realizar esforço físico intenso, se expuser ao calor ou cometer excessos, principalmente nas primeiras a 48 a 72 horas, algum poderá ocorrer acumulo de sangue nesse espaço causando assim um hematoma. Dessa forma um repouso relativo (sem esforço físico, excesso de calor ,sem pegar pesos ou elevar os braços,...) se faz necessário nessas primeiras 48 a 72 horas.

- Recuperação anestésica pós-cirúrgica: a tolerância aos anestésicos é individual e deve ser respeitada. Enquanto seu organismo não metabolizar essas drogas ( o que leva em media 24 horas), você poderá sentir tonturas quando se levantar. Portanto, nunca levante rapidamente. Sente-se por 2 a 3 minutos e se não sentir tontura, levante-se. Se sentir tontura volte a deitar. Após 24 horas essa sensação desaparecerá. Recomenda-se portanto que alguém a acompanhe no primeiro banho.

- Alimentação: alimentos leves (sopas e sucos) nas primeiras 12 horas. Após esse período dieta normal (evitar bebida alcoólica por pelo menos 3 dias).

- Medicamentos e dor: tomar os medicamentos prescritos nos horários determinados (nunca utilize medicamento sem aprovação de seu médico). De modo geral, pode ocorrer manifestação dolorosa, mas que facilmente cederá com os analgésicos receitados. Uma discreta dor é necessária para que você não cometa excessos. Porem, o limiar de dor varia muito de paciente para paciente, ou seja, temos pacientes que referem não ter usado mais que algumas gotas de dipirona nos primeiros dois dias, enquanto outras referem dor mais intensa nos primeiros cinco dias, necessitando de analgésicos mais potentes. Entre em contato caso dor intensa que não ceda com os analgésicos prescritos.

- Curativo: No dia seguinte, no primeiro banho, remova o esparadrapo e a gaze que cobre a cicatriz. Lave a cicatriz com um pincel macio (de barbear ou similar) e soapex liquido (facilmente encontrado em farmácias). Enxugue com toalha limpa e aplique uma fina camada de Iruxol ou fibrase sobre a cicatriz...aguarde cerca de 10 min...cubra a cicatriz com uma gaze dobrada ao meio e coloque o sutiã pós-operatório. Faça isso por 10 dias ou à critério do médico.

- Evitar nas duas primeiras semanas:


- Elevar os braços (não elevar os cotovelos mais de 45º em relação ao tronco)
- Pegar peso ou fazer esforço físico
- Dirigir.
- Dormir de bruços
- Sol ou calor excessivo (sauna, ...). Quanto ao sol, seu médico explicará melhor na ocasião dos retornos.
- Banho de mar ou piscina

- Evitar exercícios físicos intensos, tais como: ginástica aeróbica, musculação, etc... por 1 mês. (caminhadas leves podem ser feitas à partir de 15 dias).

- Resultado: Realizamos uma hipercorreção das próteses, ou seja, elas são colocadas numa posição superior à ideal, para que a mesma, sofrendo ação da gravidade, possa se acomodar no local mais adequado. Isso ocorre geralmente entre um e três meses da cirurgia, quando então o resultado final deverá ser notado. Enquanto isso não acontece, você poderá achar que suas mamas estão altas demais ou diferentes. O inchaço pós-operatório também pode levar até 1 mês para desaparecer, portanto você poderá achar que suas mamas ficaram maiores do que deveriam.
* Nosso conselho: Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases. Tire conosco suas eventuais dúvidas.

- Cicatriz: seja ela areolar ou infra-mamária, tende a ficar fina ,porém até três meses a tendência é que essa fique cada vez mais avermelhada, inestética e sensível (prescreveremos pomadas para minimizar esse efeito). A partir de 3 meses a cicatriz começará a melhorar de aspecto, devendo chegar a condição ideal após um ano de cirurgia.

  • Consulte este folheto informativo de tempos em tempos, tantas vezes quanto necessário.

    * Cada médico tem seu próprio modo de realizar a cirurgia e seus próprios cuidados pré e pós-operatórios. Siga as instruções de seu médico.

  • publicado por olhakkuatro às 14:46

    link do post | comentar | favorito
    |
    3 comentários:
    De Filipa Costa a 16 de Novembro de 2009 às 20:12
    Boa tarde, gostei muito deste blog e como estou a pensar fazer uma mamoplastia de aumento em breve estava muito interessada em ver as fotos postadas, mas infelizemente não dá para ver as fotos. Tem alguma hipotese de corrigir ou pode-me indicar onde posso ver essas fotos?
    Obrigada
    De vanessa ferreira mendnça da mata a 19 de Dezembro de 2009 às 21:53
    Boa tarde ,gostei muito e as explicações são ótimas . Quero tirar uma dúvida. Aqui no blog fala que as mamas ficam parecendo que estão altas de mais nos primeiros 3 meses certo?
    Então fiz uma cirurgia não tem nem 1 mês, levantei e coloquei silicone, mas estou achando que meus seios estão ca´dos . É normal ? estou super triste e com medo que meus seios tenham continuados caidos. Meu medico disse que minha protese ainda vai dar um giro, mas sei la estou triste . Por favor me explica se isso acontece mesmo e se elas ainda tem a chance de ficarem em pé com um formato bonito.
    Obrigada
    De veronica a 25 de Janeiro de 2010 às 19:18
    Vc obteve resposta?

    Comentar post

    .mais sobre mim

    .pesquisar

     

    .Fevereiro 2007

    Dom
    Seg
    Ter
    Qua
    Qui
    Sex
    Sab
    1
    2
    3
    4
    5
    6
    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13
    14
    15
    16
    17
    18
    19
    20
    21
    22
    23
    24
    25
    26
    27
    28

    .posts recentes

    . Panaricio...agora a sério

    . Panaricio...

    . Dahhhh, não podemos ser b...

    . Bom ano Novo

    . Feliz Natal

    . Bom dia Blog

    . Christmas gifts...

    . está muito frio!!

    . será k dá...?

    . mamoplastia de aumento "s...

    .pastas

    . Fevereiro 2007

    . Janeiro 2007

    . Dezembro 2006

    . Novembro 2006

    . Julho 2006

    . Junho 2006

    blogs SAPO

    .subscrever feeds